Geral, Notícias

Piracicaba segue somente com atividades essenciais liberadas

Piracicaba não seguirá a orientação do governo do Estado de progressão para a fase 2 (Laranja) e vai continuar na fase 1 (Vermelha), na qual somente as atividades essenciais podem funcionar. A decisão foi tomada pelo Comitê Covid-19, em reunião na tarde desta sexta-feira (10), e é baseada nos números de casos da doença, que têm aumentado no município. Hoje, 10/07, foram confirmados mais 171 casos e seis óbitos, totalizando 4.230 casos e 120 óbitos. Há um mês, em 10/06, o cenário era bastante diferente, com 23 casos confirmados em 24 horas, nenhum óbito no dia, total de 1.103 casos confirmados e 43 óbitos.

Pelo Decreto Municipal 18.349/2020, que será publicado na segunda-feira (13), fica estabelecido que o município continuará somente com serviços essenciais abertos até o dia 30 de julho. De acordo com o prefeito Barjas Negri, a decisão não é fácil, pois a retomada da economia é urgente. “Resolvemos permanecer com o comércio fechado porque o número de casos vem aumentando significativamente e, consequentemente, a ocupação de leitos. Nesse momento, nossa prioridade é salvar vidas”, disse Barjas.

O secretário municipal de Saúde, dr. Pedro Melllo, explicou a evolução da doença, em números. “No dia 1º de julho, tínhamos 2.982 pessoas infectadas; nove dias depois, somamos 4.059 – aumento de 36,1%. O número de internações também aumentou: no mesmo período, passamos de 156 para 188, aumento de 21,3%, considerando leitos de UTI e enfermaria. Se analisarmos somente os de UTI, o aumento foi de 37,7%, pois a ocupação foi de 61 para 84”, contabilizou.

Pedro Mello salientou ainda que grande parte da população não tem feito o isolamento social. “A circulação de pessoas aumenta o poder de contaminação”, afirmou.

O diretor da Vigilância Epidemiológica, Moises Taglietta reitera a posição de Pedro Mello. “Analisando o aumento de casos e a ocupação de leitos, os números mostram que, se não houver diminuição de circulação, o sistema de saúde pode entrar em colapso. Essas medidas é para que isso não ocorra”, disse.

COMERCIALIZAÇÃO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS – No sentido de aumentar o distanciamento entre as pessoas e, assim, diminuir os índices de contaminação, o Decreto Municipal 18.349/2020 estabelece ainda que, a partir de 15 de julho, “fica proibida a venda e distribuição no varejo, sob qualquer modalidade, de bebidas alcoolicas a partir das 18h em todos os estabelecimentos comerciais com atividades essenciais ou não, em especial: supermercados, mercados, mercearias, padarias, bares, lanchonetes, lojas de conveniência, incluindo todos os sistemas de vendas/compra direta, sistemas de entrega ou delivery”.

Segundo o procurador-geral do Município, Sergio Bissoli, o objetivo nada mais é que evitar aglomeração de pessoas. “As penalidades para quem infringir o decreto estão previstas na Lei Estadual do Código Sanitário”, disse Bissoli.

ISOLAMENTO SOCIAL – Mais uma vez, o prefeito Barjas Negri reiterou a importância das medidas de precaução contra o coronavírus, como o uso de máscaras de proteção facial, higiene das mãos e, principalmente, o distanciamento social. “Pedimos novamente que as pessoas fiquem em casa e que só saiam em caso de necessidade. Só assim poderemos voltar, gradativamente, à normalidade”, afirmou.

Deixe um comentário